Criações por espécies 

Cateto e Queixada

Criar comercialmente catetos e queixadas - também chamados de porcos do mato pode trazer boa rentabilidade para o proprietário rural. Além disso, esta é uma alternativa de preservar essas espécies da extinção. A carne exótica é bastante procurada pelos apreciadores e proprietários de restaurantes especializados, isso sem falar no valor comercial do couro desses animais. Por outro lado, a exploração técnica e econômica, tanto do cateto quanto do queixada, se reveste de grande importância como instrumento de diversificação e integração das atividades agropecuárias.

Sistemas de Criação

Há, basicamente, dois sistemas de criação para catetos e queixadas - tudo vai depender da área e do local disponível para localizar o criatório. Um dos sistemas experimentados é o de Criação Sob Mata Nativa, que inclui os componentes básicos do habitat natural.

Para que os animais não sofram com a falta de alguns componentes - como abrigo da mata, alimentação, água em abundância e outros - os piquetes e as instalações de manejo são construídas sob a mata, daí o nome criação sob a mata nativa. Há também o sistema de criação em campo aberto, que necessita de algumas árvores adultas bem como uma área de banhado, devido a necessidade de o animal se refrescar.

Também é fundamental construir abrigos. Eles podem ser feitos com as laterais de madeira, somente com uma porta para a entrada e saída dos animais. A cobertura, pode ser feita de madeira, capim sapé, folhas de palmeiras. Lembre-se que o importante é que o material utilizado não absorva e transfira calor para dentro.

.. A criação de catetos e queixadas oferece:
  • Carne de excelente qualidade, muito apreciada em restaurantes especializados. E baixo teor de gordura e calorias;
  • Couro;
  • Matrizes.

 

GESTAÇÃO

Cateto - O período de gestação do cateto fêmea dura cerca de 145 dias, sendo que 70% das fêmeas fazem 2 partos por ano. Cada fêmea em média gera 1,6 filhotes por parto.

Queixada - Na queixada o período de gestação é em média 165 dias. O número de partos por ano é o mesmo que o cateto fêmea, ou seja, a maioria faz 2 partos por ano. Mas cada queixada fêmea gera em média 1,8 filhotes por parto.

Alimentação

Queixada: Apesar da pouca proporção de material de origem animal em sua dieta, pode ser considerado onívoro. Em florestas tropicais úmidas, os queixadas são predominantemente frugívoros.

Cateto: O cateto alimenta-se de vegetais, destacando-se raízes e gramíneas, comendo também frutos e pequenos vertebrados.

Instalações

O local das instalações deve proporcionar abrigo e conforto para os animais, para isso o ideal é que o local tenha uma área de 20 m² útil por animal. A higiene também é muito importante para um bom rendimento na criação, pois facilita o trabalho de manejo.

Os piquetes devem ser construídos dentro da mata natural, para que haja uma proteção ambiental, mas caso não seja possível. recomenda-se construir coberturas artificiais. Junto ao piquete deve haver uma área de manejo, construída inteiramente de madeira e, de preferência entre dois piquetes, um brete, ou seja, um local onde se faz o controle sanitário, pesagem e outras práticas de manejo, cochos de alimentação, gaiola, seringa, corredor para a entrada e saída dos animais, abrigos e água.

Menos Gordura na balança

TIPO
Calorias
(Kcal)
Proteínas
(g)
Gordura
(g)
Ferro
(mg)
Boi22519,415,52,9
Porco2766,722,72,5
Frango24618,118,71,8
Cateto
queixada
14716,88,32,1

Tabela comparativa de composição nutricional
(em 100 gramas).

Reprodução

As matrizes podem começar a reproduzir a partir dos 8 a 10 meses de idade. No plantel deve haver uma relação de 7 fêmeas para 1 macho.
Tanto para o cateto como para o queixada, o cruzamento ocorre de forma natural, apenas diferenciando em alguns aspectos. O maior número de nascimentos acontece entre os meses de junho, julho, dezembro e janeiro. O parto acontece naturalmente dentro do piquete, não havendo necessidade da ajuda do homem, além disso o manejo dos filhotes também é feito, naturalmente pela sua mãe. Quando os filhotes atingem 12 quilos de peso vivo - ou no segundo mês de vida acontece o desmame.
Neste momento os filhotes, animais machos e fêmeas são recolhidos na mangueira, em seguida conduzidos para o brete, onde são separados, pesados identificados por sexo e identificados com um brinco.

Índices zootécnicos – Cateto (Tayassu tajacu)

  • Maturidade sexual: 8 a 10 meses

  • Ninhada: geralmente composta por 2 filhotes

  • Peso ao nascimento: 500 a 600 g

  • ldade ao abate: 1 ano

  • Peso ao abate: 22 Kg

  • Proporção macho/ fêmea: 1:4

  • Período de gestação: 140 a 148 dias

  • Período de lactação: 6 a 8 semanas

  • Número de animais/área: 10 catetos/ha

Índices zootécnicos - Queixada (Tayassu pecaris)

  • Idade reprodutiva: a partir do 10° mês de vida

  • Período de gestação: 140 a 148 dias

  • Número de filhotes: 1 a 4

  • Período de lactação: 6 a 8 semanas

  • Proporção macho/fêmea: 1:4

  • Número de animais/área: 10 queixadas/ha

Fonte: Escala Rural Especial - ANO III N° 18 - pág. 35.

Voltar!